Todos os poemas aqui postados são de autoria de Ineifran Varão

TODOS OS POEMAS AQUI POSTADOS SÃO DE AUTORIA DE INEIFRAN VARÃO

Este blog é exclusivamente para postagem do moderníssimo varano, estilo de poema criado por Ineifran Varão, cujas regras e orientações estão disponíveis para todos os poetas que desejarem praticá-lo.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

BARBA DE MOLHO


Para outras cenas
Vão-se as falenas
Com seus gracejos
Jogando beijos
...De simpatia

De alguma esquina
Ave rapina
Solta seu grito
Faz-se bonito
...Causa empatia

Não causa susto
Diante do busto
E irresoluto
Mostra-se arguto
...Chegou seu dia

.......................
Patinho rouco
Não viu o troco
Não viu rebarba
De molho a barba
...Que é serventia!

terça-feira, 8 de julho de 2014

REZAS DO MEU PAÍS


No sobe-e-desce
Ouve-se a prece
O povo clama
Na fé que o chama
...Na procissão!

No escapulário
Um relicário
É um testemunho...
De vela em punho
...Na multidão!

A cada reza
Alguém reveza
E o povo unido
Diz repetido
...O seu refrão!

Velhos, crianças
Levam esperanças
E vão a pé
Com sua fé
...E devoção!

Os marianos
Os franciscanos
Algumas freiras
E as obreiras
...Em oração!

Findo o cortejo
À santa um beijo!
Tocam-lhe os dedos
Afastam medos
...Em contrição!

Lá da Matriz
O padre diz
Feliz, meu povo
Volte de novo
...E dá a bênção!

Voltam pra casa
(Anjos sem asa)
Missão cumprida!
Graça atendida
...Muita emoção!
 .......................
E a vida segue
Passos de jegue
Frescor de brisa
Nada inferniza
...Meu Maranhão!

quinta-feira, 3 de julho de 2014

NÃO !


Chorava prantos
Sem acalantos
O homem venal
Oriental
...Ó corrupção!

Se brasileiro,
Sai sorrateiro
Diz: ‘Não fui eu!’
Ou... ‘Não é meu!
...Sou um cidadão!’

Vai pra cadeia
E, volta e meia,
É ovacionado
Como um legado
...Da oposição!
 ...........................
Minha esperança
É a governança
Tomar vergonha!
Que o ‘NÃO’ se oponha
...À reeleição!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

ÁGUA BOA


Ó água boa
Não é à toa
Que nos dás vida!
És a bebida
...Imprescindível!

Tu és alento
Para o sedento!
Da natureza
És a beleza
...Indivisível!

És o frescor
Ante o calor...
És o remédio
Em qualquer tédio
...És infalível!

Bendita sejas
Se tu gotejas
Nosso caminho...
És um pouquinho
...De um Deus incrível!

domingo, 11 de maio de 2014

MÃE

Mãe, nós te amamos
E desejamos
Não só um dia
De alegria,
...Mas toda a vida!

Rainha da Terra,
Que amor encerra,
Trazes o amor
Que abranda a dor
...Que for sentida!

Tu és o ninho
De mais carinho
Que Deus nos deu!
Sou um filho teu
...Minha querida!

Mãe que protege
Mãe que nos rege
Tu és flor e luz
No riso ou cruz
...Nossa guarida!

Ó mãe gloriosa,
Sempre bondosa,
Deus te conserve
Em nossa verve
...Sem despedida!

domingo, 27 de abril de 2014

OS FALSOS LOUROS DA LITERATURA


Próxima vez
Serei talvez
Um diplomata...
Serei da nata
...Com projeção!

Eu serei lido,
Serei ouvido,
Visto em jornais...
E nos anais
...Terei inscrição!

Mesmo que fale
Do que não vale,
De coisas fúteis,
Coisas inúteis
...Terei menção!

A enciclopédia
Da classe média
Lerá meu nome,
Com sobrenome
...(que hoje, é Varão)!

Direi bobagens,
Zero em mensagens...
E os da ‘política’,
Sem visão crítica
...Aplaudirão!

Enquanto isso,
O bom é omisso!
Nunca aparece,
Seca e fenece
...Na escuridão!

É assim na mídia,
Onde a perfídia
Segue interesses,
Ilude as messes
...Com seu jargão!

Eleva ao trono
Um ‘cão sem dono’,
E o faz glorioso
‘Ele é famoso’
...(é um fanfarrão)!

A Academia
O credencia!
Ele é graúdo
(sem conteúdo)
...Mas... Figurão!

......................
E a criatura
Mata a cultura...
Do seu pináculo,
Mata o vernáculo
...DESILUSÃO!

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

ESPERANÇA, SEM DESESPERANÇA


Ouço um murmúrio,
Qual um augúrio
De coisas boas,
Entre as pessoas
...Soa a esperança!

Talvez o afã
De outro amanhã
No inconsciente,
Ou até consciente
...Dê mais confiança!

Cansado, o povo
Busca algo novo,
Sai da janela...
E a cidadela
...Entra na dança!

Quem sabe, agora,
Senhor, senhora,
Deem basta a engodos,
Juntem-se a todos
...Pela mudança!
 ......................
Dói a pobreza,
Ante a esperteza
Que impera há anos,
Pelos fulanos
...Da governança!